Clandestina Esperança

Considero o exercício de estourar pipocas uma proeza, algo peculiar. Isso porque estou acostumada a saboreá-las por outros feitos que não os meus. Penso ser de grande responsabilidade transformar todos os grãos, o que talvez não exista, mas ocupa meus pensamentos em momentos de ócio. Tal façanha exige conhecimento de causa: pra mencionar a temperatura…

Paredes de papel

Era entardecer de outono e o sol ainda estava disposto, atingindo com animosidade cada canto da casa simples e úmida da chuva de anteontem. A conversa animada dos compadres juntou-se a paisagem ao final da rua machucada, destacando–se pelas belas planícies com criativos tons de verde musgo e abacate ou como preferir quem observar. As…

Não estaremos sozinhos

Antes que o ano comece outra vez, preciso lhe contar o que aprendi: não ando só. Descobri que tenho a sutileza das marés, a força do rio, a flexibilidade dos galhos e a presença dos ventos. Tenho a cor da terra e os traços da Natureza.  Sou de muito longe, sou crente no Deus maior,…

Devaneios de esperança

Meu pai tinha um rádio motobras com antena telescópica de um tamanho que eu achava injustificável e, que compensava por sintonizar estações inacessíveis a pé.  Ficava sentado por horas, descansando, no pilar da fresca varanda. Era sempre na aurora e fim de tarde: quando se intensificava o agradável barulho das folhas pela brisa leve e…

Vamos atravessar

 Era final da manhã, quando as nuvens se dissolviam e a incandescente luz do sol se intensificava numa visita animosa, adentrando carinhosamente pelas frestas de nossa casa. Meu tio então chegou falante e com um sorriso embasbacado. Trazia um peixe e uma caixa de bombons e logo disse ser aquele um presente do seu irmão mais…

Dúvida de nós

Só tu podes libertar-te, disse o psiquiatra a Zé Ninguém. O psicanalista Wilhelm Reich, em uma representação férrea da consciência, discursa em sua obra introspectiva “Escuta, Zé Ninguém! Zé Ninguém era um cidadão, subordinado aos chefes de Estado, aos poderosos senhores da economia, mas achava-se livre. Descobriu que na verdade, era escravo de seus mestres,…

Calce os sapatos da Coragem

A cada despertar, sou grata à grandeza dessa existência, a possibilidade de criar, aprender todos os dias. Sou grata pela oportunidade de crescer com os desafios, de renovar os propósitos e avançar em direção à iluminação.   No entanto, não posso ser hipócrita de ignorar os eventos tão cruéis que se passam entre os seres…

Um futuro indeterminado

 Imagine um mundo, onde tudo já estivesse determinado desde o princípio e o epitáfio, estivesse escrito. Onde o futuro fosse destino e alterar o presente seria inútil. Mudar seria outro conceito. Seríamos programados e a esperança um neologismo, com incertezas omitidas. Tudo sob medida. É sabido que as ações de hoje, influenciam o futuro. Mas,…

Um novo ciclo de perfectibilidade

Todo ano, existem crises, comemorações, perdas e desafios. A natureza, em seu esplendor, nos presenteia com a brisa, com o aroma e cores do campo, com o calor e a chuva para molhar a relva. Nada constante, alternando e fluindo. A intensidade de cada periodo vivenciado, é dito através da percepção do indivíduo, formada a…

Só por hoje, vamos viver

O físico Albert Einstein, em um de seus manuscritos, escreveu sobre a liberdade. Discutiu-a como elemento importante para o desenvolvimento pleno do homem e suas potencialidades. Apresentou uma existência de bem estar e autonomia com base neste conceito. Para a liberdade, há muito que dizer. Por ora, vamos pensar em um de seus trunfos: o…